22 a 24 de Novembro de 2018

II Curso sobre cultivo da Nogueira-pecã

Estação Experimental Cascata da Embrapa Clima Temperado, Pelotas/RS


O presente curso tem o objetivo de capacitar técnicos e produtores da região sobre o cultivo da nogueira-pecã no Sul Brasil. Serão abordados temas como panorama da cultura da nogueira-pecã, clima solo, implantação das nogueiras, principais cultivares, propagação, práticas de manejo da planta e do solo, controle de doenças e pragas, sistema agrosilvopastoril, sistema agroflorestal e colheita, processamento.

O curso será ministrado no Centro de Capacitação da Agricultura Familiar (CECAF), localizado na Estação Experimental Cascata, da Embrapa Clima Temperado, Pelotas/RS.

........ A escolha de cultivares de nogueira-pecã para o pomar também faz parte do planejamento e é uma das etapas mais importantes. A nogueira-pecã apresenta dicogamia, isto é, dentro da mesma planta a liberação do pólen ocorre em momento diferente da receptividade da flor feminina. Então, para o pomar apresentar boas produtividades tem que haver cultivares protogínicas (flor feminina receptiva antes da liberação do pólen - exemplo: Shawnee) e cultivares protândricas (liberação do pólen antes da receptividade de flor feminina - exemplo: Desirable). A disposição das cultivares no pomar deve favorecer a dispersão do pólen para as cultivares que apresentem receptividade da flor feminina, isto para que ocorra uma efetivação da polinização.

De modo geral, além da sincronização da polinização entre as cultivares (recomenda-se 3 a 4 cultivares por área) as mesmas devem apresentar: resistência a sarna e outras doenças foliares; boa produtividade; baixa alternância de produção; bom rendimento de amêndoa e precocidade. A busca por informações junto à extensionistas e profissionais qualificados tornam-se essencial para que um pomar seja planejado de forma correta, consequentemente reflita em sucesso na produção de noz-pecã. As mudas de nogueira-pecã devem ser enxertadas, possuir bom vigor e sanidade e podem ser adquiridas de viveiristas idôneos.

Quanto ao espaçamento a recomendação deve ser realizada conforme os objetivos do produtor, uma vez que a cultura permite o consorciamento com animais e outras culturas agrícolas. Também deve ser considerado as práticas de manejo que serão adotados, que podem exigir maiores espaçamentos quando utilizados máquinas e implementos agrícolas. Espaçamentos mais adensados (7 x 7m) permitem um retorno maior nos primeiros anos de produção devido a maior quantidade de plantas por área, no entanto, a partir do momento que as plantas crescem são necessários podas e/ou a retirada de plantas (desbastes), de forma a reduzir a competição entre as plantas por luz e nutrientes e minimizar a incidência de doenças. Contudo, existem vários espaçamentos que são utilizados, desde os mais adensados (7 x 7m, 9 x 6m) até os com menor densidade por área (10 x 10m, 12 x 12m, 15 x 15m, entre outros), sendo o espaçamento de 10 x 10m um dos mais utilizados em pomares do Rio Grande do Sul.

*Parte do artigo técnico que será publicado no seu JF online, edição de dezembro, que baixaremos na rede dia 22/11/2018.

* Cultivo de  nogueira-pecã -Mauricio Bilhalva1, Rudinei De Marco1, Rafaela de Souza Schmidt1, Carlos Roberto Martins2

Site do evento para inscrições e localização do evento -  https://www.embrapa.br/clima-temperado/cultivo-nogueira-peca
 

Comentários