As moscas são consideradas pragas chaves da fruticultura

Começa o monitoramento das mosca-das-frutas nas regiões de Pelotas e na Serra Gaúcha

Os boletins informativos serão produzidos e divulgados, a partir do dia 16 de agosto


Consolidado na metade Sul do Estado, o Programa busca segurança do alimento e garantia de produtividade, tanto ao mercado in natura quanto à voltada à indústria de conservas. 
Hoje, dia 16 de agosto, começa a publicação semanal do Boletim Informativo sobre o Sistema de Alerta Mosca-das-Frutas nos Pomares de frutas de caroço, como pêssego e ameixa, no endereço: https://www.embrapa.br/sistema-de-alerta. A região de Pelotas já dispõe dessa ferramenta há sete anos, numa iniciativa da Embrapa Clima Temperado (Pelotas-RS), e os excelentes resultados motivaram a equipe da Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves-RS), em parceria com a Emater-RS/ASCAR, a trazer o sistema, a partir desta safra, para os produtores da Serra Gaúcha.

A intenção do Sistema de Alerta é, a partir do monitoramento, auxiliar os produtores a tomarem medidas de controle para evitar a infestação da mosca e as perdas de produção, e estimular a racionalização de uso de agroquímicos. A grande representatividade da produção das duas regiões - a Região de Pelotas é responsável por 95% da fruta destinada à indústria de conservas e a Serra Gaúcha, por 80% das frutas de caroço (pêssego e ameixa) para consumo in natura do Estado, indica a prioridade na sua execução. Também existem planos de ampliar o Sistema para a região dos Campos de Cima da Serra, com foco na cultura da macieira.

Segundo o pesquisador da Embrapa Clima Temperado, Dori Edson Nava, que coordenou a implantação do  Sistema de Alerta em Pelotas, o baque com relação à necessidade de controle ocorreu na safra 2008/2009, quando foram relatadas, pelo setor produtivo da Metade Sul, perdas de 'caminhões inteiros de produção', em função do ataque destes insetos. As moscas são consideradas pragas chaves da fruticultura gerando perdas de produção nas espécies de caroço, como ameixas e pessegueiros. "Os danos decorrem em função da oviposição nos frutos, e posterior eclosão das larvas, levando ao seu apodrecimento. Além disso, as fêmeas, durante a oviposição, abrem entrada para microrganismos que causam perdas na pré e pós-colheita, como ocorre com a podridão parda", explicou o pesquisador. Ele ainda diz que muitos mercados consumidores internacionais impõem restrições às exportações dos locais em que ocorre o ataque da praga. 

Outra razão para a realização do Programa foi a retirada dos inseticidas com ação de profundidade da grade de agrotóxicos autorizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para controle da mosca-das-frutas em frutas de caroço. Anteriormente, os produtores faziam o controle da praga com inseticidas fosforados com ação de profundidade como o fention, dimetoato e fenitrotiom. No entanto,  com perda dessas ferramentas,  o controle da mosca passou a estar focado na fase adulta do inseto, sendo o produto aplicado principalmente quando o monitoramento indica maior incidência desses insetos nos pomares. "Se for detectado a presença da  mosca no pomar, a recomendação é: use isca tóxica!", observa Nava. Mas, conforme as orientações do pesquisador, caso aumente a população é necessário direcionar o controle com aplicação em toda a área (aplicação por cobertura) complementando o efeito das iscas tóxicas.

Boletins Informativos - Os boletins informativos serão produzidos e divulgados, a partir do dia 16 de agosto, semanalmente às quartas-feiras nas duas regiões, com recomendações sobre o monitoramento e as ações de controle das mosca-das-frutas, mas também com outras orientações relacionadas ao manejo da cultura. Na região de Pelotas, os boletins serão produzidos até o período das variedades mais tardias de pêssego, às vésperas do Natal. Já no caso da Serra Gaúcha, segue até o mês de fevereiro, quando acaba a safra das cultivares mais tardias.

Os boletins serão enviados via e-mail e whatsapp, para os interessados que podem se cadastrar aqui goo.gl/njsqwB.

Os informativos também estarão disponíveis na página do sistema: https://www.embrapa.br/sistema-de-alerta, na qual também poderão ser acessados materiais complementares como vídeos e publicações. Na Serra Gaúcha, a Rádio Difusora (890AM) irá apresentar o Boletim, com a participação da equipe técnica do Projeto, no Programa Radiojornal toda quarta-feira às 7h20min. Na Região de Pelotas outra espécie de inseto-praga também é monitorada semanalmente pelo Sistema de Alerta é a Grafolita (Grapholita), a mariposa oriental. Neste caso, armadilhas específicas, alocadas junto às armadilhas da mosca-das-frutas, utilizam um feromônio sexual como atrativo. 

*Cristiane Betemps/Viviane Zanella com a colaboração da jornalista Rejane Paludo (Emater/RS-Ascar) -  Embrapa Clima Temperado e Embrapa Uva e Vinho 

clima-temperado.imprensa@embrapa.br/uva-e-vinho.imprensa@embrapa.br  - Telefone: (53) 3275-8215 ou (54) 3455-8084

Comentários

VEJA TAMBÉM...