Mais um evento técnico da Epagri São Joaquim atualiza a pomicultura

Ciclo de palestras de atualização técnica na cultura da macieira

Na área de fitossanidade, os pesquisadores comentaram sobre as principais doenças da macieira


No dia 08 de agosto foi promovido o ciclo de palestras sobre a cultura da macieira em São Joaquim, um evento promovido pela Estação Experimental da Epagri de São Joaquim, com o apoio da Prefeitura Municipal de São Joaquim, Amap, Faesc/Senar, Cidasc, Assea, Nutasj e Secretaria da Agricultura e da Pesca e Agência de de Desenvolvimento Regional  de São Joaquim. Na abertura, o gerente da Unidade Engo. Agro. Marcelo Cruz de Liz falou sobre a importância do evento na contribuição técnica e troca de experiências entre os participantes, bem como  na organização dos fruticultores e do setor, visando a superação dos desafios econômicos e sociais atuais, além da busca por alternativas para a competitividade  setorial. Na sequência o secretário da Agricultura do município de São Joaquim Engo. Agro. Sandrigo Campos cumprimentou os presentes. O evento, contou com a participação de fruticultores e profissionais de agronomia  que buscam   informações, novos conhecimentos e tecnologias para serem aplicados nos seus pomares, considerando a  tecnificação da cultura e seus avanços.

Nas palestras os pesquisadores da estação experimental, apresentaram vários temas de importância para a maleicultura brasileira,   como o manejo e controle de pragas, pincipalmente a mosca das frutas,  buscando estratégias de  atuação através de vários métodos de controle como:  uso  iscas tóxicas, controle massal, controle químico  e envelopamento, a importância do monitoramento e uso do atrativo mais correto. Além da mosca, o pesquisador  referiu   outras pragas como as mariposas(grafolita e bonagota) o uso correto  e manejo dos ferômonios sexuais. Além disso, foi discutido que o  ácaro vermelho, é uma praga que pode ser amenizada através do correto manejo , favorecendo a população de inimigos naturais e com otimização de uso de agroquímicos.

Quanto ao uso de reguladores de crescimento, foi abordado a importância destes produtos  na época  correta e conforme as recomendações técnicas para se maximizar seus efeitos sobre a plantas e frutos, como indutores de brotação, melhorando toda fisiologia da planta e, proporcionando melhor formação e retorno de gemas floríferas. Estes fitoreguladores proporcionam maior frutificação efetiva, plantas mais equilibradas,  facilidade no uso dos raleantes químicos e retardadores de maturação. Enfim existem uma séria de práticas  que podem proporcionar bons resultados, desde que   usados de forma e na época correta, facilitando em muito os ganhos de eficiência em termos de mão de obra, qualidade de frutos e aumento de produtividade dos pomares.

Na área de adubação de solo e nutrição de plantas foi referida a importância do manejo dos principais elementos químicos  para macieira como potássio, nitrogênio, cálcio magnésio, boro e zinco, matéria orgânica e suas relações, de forma a obter plantas com vigor equilibrado, frutos de  qualidade , pomares produtivos,  frutos com capacidade de armazenamento e com qualidade para comercialização,  objetivando sempre produções constantes e de qualidade.

Na área de fitossanidade, os pesquisadores comentaram sobre as principais doenças da macieira com mancha foliar da gala, uma doença que a cada safra vêm  tornando-se um problema em nossa região, principalmente em anos com temperatura altas e anos chuvosos. Sobre esta doença os fruticultores devem ficar mais atentos pela sua gravidade e velocidade de disseminação, pois ela ataca folhas e frutos. Importante observar  as condições climáticas para tratamentos preventivos, plantas com boa luminosidade e variedades resistentes. Foram abordados, também outras tecnologias da Epagri como o sistema Agroalerta - Agroconnect , que consiste numa rede de estações metereológicas, capazes de gerar informações climáticas  e modelos agrometeorológicos das principais doenças da macieira como mancha da gala, sarna e podridões. Estas tecnologias podem auxiliar os produtores nas  estratégias de controle da sarna da macieira, outra doença importante que pode ser manejada através do uso do modelo agroalerta.

Finalizando o ciclo de palestra comentou-se sobre o cancro europeu das pomáceas, uma importante  doença  que vêm atacando a maleicultura do sul do Brasil. Esta doença têm desencadeado um trabalho intenso das instituições , para que  no curto médio seja possível  erradicar a mesma do Brasil. A mesma pode comprometer todo setor, devido sua agressividade, causando a morte de plantas, afetando a qualidade dos frutos e produtividade dos pomares, bem como aumentado o custo de produção. A disseminação desta doença é  rápida e a mesma encontra condições  de temperatura entre 11-16° C e precipitação de mais de 1600 mm anuais. Esta doença está se estabelecendo em nossa região, facilitada pela fácil disseminação e posterior infecção nas plantas. Este é  um trabalho de conscientização que todos são responsáveis com   práticas  fitossanitárias preventivas e culturais de controle para  erradicação deste fungo dos pomares.

Enfim o evento proporcionou o repasse de muitas informações  e tecnologias sobre a cultura, fundamentais para aumentar o conhecimento técnico dos  fruticultores e profissionais da área. Além disso  proporcionou a formação de pessoas  mais atualizadas e capazes de aplicar o conteúdo adquirido nos seus pomares. Estes conhecimentos certamente possibilitarão ganhos de eficiência de mão de obra, qualidade de frutos e produtividade  , resultando em  maior renda na sua atividade, reduzindo custos de produção e gerando novos investimentos na atividade.

*Marcelo Cruz de Liz - e-mail - marcelodeliz@ epagri.sc.gov.br - eesj@epagri.sc.gov.br ou Estação Experimental da Epagri em São Joaquim: (49) 3233-8448

Comentários

VEJA TAMBÉM...