Perímetros Gorutuba e Lagoa Grande

Aprovada a continuidade da irrigação pela Comissão Gestora do Gorutuba

A agricultura irrigada e especialmente a fruticultura geram cerca de 10.500 empregos diretos e indiretos


No dia 10 de agosto de 2017, foi realizada a reunião extraordinária da Comissão Gestora da Bacia do Gorutuba, na sede da Associação dos Proprietários Irrigantes da Margem Esquerda do Rio Gorutuba - ASSIEG, que contou com a presença de várias instituições, entre elas a Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas - ABANORTE, CODEVASF, DIG e EMATER. Durante a reunião, Ricardo Carreiro Neto, Gerente Executivo do DIG e Coordenador da Comissão, apresentou o resultado do estudo de alteração da Alocação Negociada de Águas 2017/2018 elaborado pela Agência Nacional de Águas - ANA, que depois de se certificar que há na Barragem Bico da Pedra volume suficiente para o atendimento a todos os usuários, com o racionamento vigente nos Perímetros Gorutuba e Lagoa Grande, bem como há infraestrutura para possibilitar a captação da água para todos os usuários, conclui-se que a irrigação não precisa mais ser interrompida no final do mês de agosto. A conclusão vem acompanhada do posicionamento de que o novo limite para irrigação será a cota 532 metros garantindo a água para o ano de 2017. A segurança para o abastecimento humano foi mantida, uma vez que na cota 532 metros estima-se que há um volume de 35 hm3, muito superior ao volume utilizado anualmente pela COPASA, que é de 4 hm3. Com o parecer da ANA a Comissão Gestora da Bacia do Gorutuba se posicionou favorável à alteração do Termo de Alocação Negociada de Águas, trazendo esperança não só para os produtores rurais como também para toda a sociedade do Vale do Gorutuba, que depositam sua fé e expectativa num bom período chuvoso para afastar de vez a possibilidade de interrupção da irrigação e de um colapso social e econômico para a região. 

A agricultura irrigada e especialmente a fruticultura geram cerca de 10.500 empregos diretos e indiretos e uma receita anual da ordem de R$103 milhões, além se proporcionar uma maior visibilidade da região, o que potencializou os investimentos dos setores público e privado. Esses investimentos foram realizados principalmente na pecuária, no comércio, educação e prestação de serviços nos municípios de Janaúba e Nova Porteirinha.

A cultura da banana é o carro chefe da agricultura no perímetro irrigado do Gorutuba, as frutas produzidas são exportadas para praticamente todos os estados da união tendo seus maiores volumes concentrados nos CEASA-RJ e CEASAMINAS, chegando a representar na média dos últimos cinco anos, 22,90% e 5,00% respectivamente de toda a banana comercializada nestas importantes centrais de abastecimento. Com a fruticultura irrigada as cidades de Janaúba e Nova Porteirinha transformaram-se em importante polo de produtos e serviços que vão desde a fabricação de caixas e seus acessórios, prestação de serviços de embalamento de frutas transformando-se na principal central de fretes do Norte de Minas chegando a transportar em média mais de 2.400 cargas de frutas por mês. A paralização das irrigações no Perímetro do Gorutuba, mesmo que por alguns poucos meses, provocaria o desmonte definitivo de toda a infraestrutura regional amealhada ao longo dos últimos 30 anos restando apenas as mazelas sociais e crise econômica sem precedentes devido a ligação umbilical da economia regional com a agricultura irrigada.  Mais www.abanorte.com.br

Comentários

VEJA TAMBÉM...