tecnologia

Compradores alemães impulsionam certificação socioambiental da manga na Caatinga

Fazendas do Vale do São Francisco conquistaram certificação nos últimos meses


Nos últimos meses, 17 empreendimentos produtores de manga da região do Vale do São Francisco conquistaram a certificação socioambiental Rainforest Alliance?. Foram os primeiros casos de certificação socioambiental da fruta no Brasil. E a tendência de crescimento se mantém: a velocidade com que os pedidos de auditoria para novos certificados está acontecendo indica que o mercado ainda tem muito fôlego.

O movimento é explicado pela demanda dos compradores alemães de frutas in natura pelo selo que atesta o cumprimento da norma, que prevê requisitos sociais e ambientais, como não desmatar, comprovar que a gestão ambiental do empreendimento assegura a biodiversidade local, que a água e o solo serão conservados e livres de contaminação, que as águas residuais e o lixo foram descartados corretamente e que o empreendimento fornece condições de saúde e segurança para os trabalhadores.

O Imaflora (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola), organização não governamental, brasileira, responsável pela aplicação das normas da Rainforest Alliance? em campo, auditou as fazendas e chama a atenção para dois pontos em especial: o alerta para desmatamento na caatinga e a melhoria das condições de trabalho. "Os empreendimentos estão avaliando as áreas de expansão para suas atividades com olhar voltado para evitar o desmate", diz Tharic Galuchi, coordenador de certificação agrícola do Imaflora.

Ele lembra que o cultivo da manga emprega um número grande de trabalhadores, já que a colheita não é mecanizável. No caso dos 17 novos empreendimentos certificados, são mais de seis mil trabalhadores sob influência da certificação. "Os requisitos sociais preveem a aplicação de normas rígidas sobre segurança no trabalho, acesso à saúde, a jornadas limitadas de trabalho, registro em carteira e benefícios à família do trabalhador, inclusive quando são temporários", lembra Tharic.

Ao todo, a certificação dos empreendimentos de manga abrange mais de 9 mil e 800 hectares do semiárido brasileiro. O Imaflora é responsável pela certificação de 2 mil e 300 hectares e, com a entrada dos 17 empreendimentos, a certificação Rainforest Alliance? estende-se a 37 mil e 300 hectares e a 10 mil trabalhadores diretos, que cultivam mamão, melão, melancia, maracujá, banana, uva e manga. *Imaflora

Comments

SEE ALSO ...