Vincule o conteúdo com alguma editoria

Monitoramento nas áreas de produção de cítricos e manga que exportam para EU é obrigatório

Prazo mínimo para o monitoramento nas áreas de produção é de 90 dias


O Monitoramento nas áreas de produção de cítricos e manga que exportam para União Europeia (UE) é obrigatório, afirmou os técnicos do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) a Associação dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS) em reunião realizada ontem (18), no anexo do Mapa, na presença do secretário-adjunto da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), Fernando Mendes.

A informação já propagada anteriormente pela Abrafrutas para os associados, foi reforçada ontem, inclusive para lima ácida Tahiti.  Sobre a lima ácida, a Abrafrutas tem solicitado junto ao Mapa a retirada dessa fruta da lista de espécies de cítricos, porém os técnicos informaram que não há garantias que as autoridades fitossanitárias da UE irão acatar o pedido.

O prazo mínimo para o monitoramento nas áreas de produção é de 90 dias anterior à data de exportação para UE. "A orientação é fazerem o monitoramento se querem exportar, ou monitoram ou não exportam, temos que ser pragmáticos", afirmou o diretor do Departamento de Sanidade Vegetal (DSV), Carlos Goulart que também esteve presente na reunião.

Outro assunto de destaque foi sobre a mosca da carambola e a Abrafrutas solicitou ao Mapa apoio na realização de um Workshop voltado ao assunto para debaterem os problemas e as possíveis soluções.  Goulart defendeu a necessidade de um movimento de discussões mais efetivos voltado para essa problemática. "A fruticultura é um setor que impacta diretamente a economia do país, e que faz diferença em diversos setores e não pode deixar de ser priorizado", afirmou o diretor do DSV que propôs, além do workshop, uma audiência pública.

No caso de Roraima que se encontra atualmente com o mercado fechado por conta dessa praga, o secretário Adjunto da SDA, reforçou a falta de recursos para solucionar o problema. "Recursos para monitoramento tem, o grande problema está na falta de recurso para vigilância de trânsito", explicou Mendes.

O presidente da Abrafrutas, Luiz Roberto Barcelos, lembrou na reunião, o pedido que fez a Ministra Tereza Cristina no dia em que ela reuniu todos os representantes dos setores privados do agro, no qual cada um teve a oportunidade de colocar duas prioridades emergenciais, e o pedido dele foi que não houvesse contingenciamento de recursos para monitoramento e controle de pragas.

Novas exigência fitossanitárias da EU para citros e mangas - A Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS) mediante as novas medidas fitossanitárias determinadas pela União Europeia, recomenda produtores exportadores de citros e manga a implantarem imediatamente o controle populacional das moscas-das-frutas nos pomares para que não sejam prejudicados mediante a Diretiva da União Europeia (2019/523), com implementação a partir do dia primeiro de setembro de 2019. Veja a orientação completa clicando no link logo abaixo:  UEA mosca das frutas - nota técnica

Participaram também da reunião o técnico da Confederação da Agricultura Pecuária do Brasil (CNA), Eduardo Caldas, a coordenadora-geral de Proteção de Plantas da Secretaria de Defesa Agropecuária, Graciane Castro, o diretor executivo e o gerente técnico da Abrafrutas respectivamente, Eduardo Brandão e Jorge Souza. *Abrafrutas

Comments

SEE ALSO ...